Baltashow Notícias

Sai em CD álbum em que Pittman canta Roberto e Martinho com arranjos de Erlon

Cultura

Sai em CD álbum em que Pittman canta Roberto e Martinho com arranjos de Erlon

 

 
Sai em CD álbum em que Pittman canta Roberto e Martinho com arranjos de ErlonSai em CD álbum em que Pittman canta Roberto e Martinho com arranjos de Erlon
 

Por Mauro Ferreira, G1

16/01/2018 10h26  Atualizado há menos de 1 minuto

 

Quando lançou o álbum Estrela é lua nova, em 1969, a cantora carioca Eliana Pittman tinha somente 24 anos. Mas já estava no sexto álbum de carreira fonográfica iniciada em 1962 com disco de 78 rotações e com álbum gravados e assinados por Eliana com o padrastro, Booker Pittman (1909 – 1969), clarinetista norte-americano de jazz.

Booker saiu de cena no ano em que Estrela é lua nova, então já o quarto álbum solo da cantora, chegou ao mercado fonográfico em edição da extinta gravadora RGE. Lançado pela primeira vez no formato de CD, em edição posta nas lojas neste mês de janeiro de 1968 pelo selo Discobertas, Estrela é lua nova ilumina cantora de precoce maturidade vocal, lapidada em shows feitos com Booker na Argentina e nos Estados Unidos no início da década de 1960, quando Pittman ainda era adolescente.

Valorizado pelo suingue dos arranjos criados pelo maestro e pianista paulistano Erlon Chaves (1933 – 1974), e também pela capa que expõe Eliana em pintura de Oscar Palácios, o álbum Estrela é lua nova traz no repertório músicas então recentes como Que maravilha (Toquinho e Jorge Ben Jor, 1969), Summertime (George Gershwin e DuBose Heyward, 1935), Se você pensa (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968) – em versão inicialmente jazzy que cai freneticamente no samba, diluindo a pegada roqueira da música – e Iá Iá do Caid Dourado (Martinho da Vila), inspirado samba-enredo com a qual escola de samba Unidos de Vila Isabel desfilou no Carnaval daquele ano de 1969 e que Eliana regravou com moldura sinfônica.

Produzido por João Araújo (1935 – 2013) e batizado com o nome de tema afro-brasileiro adaptado por Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959), o álbum Estrela é lua nova também traz músicas como E você nem viu (Antonio Adolfo e Tibério Gaspar), Fim de tarde (Edil Pacheco e Luiz Galvão) e o samba Vou morrer de rir (Osvaldo Nunes e Olávio Sérgio). Lançado há 49 anos, o disco resiste bem ao tempo como um atestado do canto vivaz de Eliana Pittman.

G1

ENVIE NOTÍCIAS PARA O EMAIL
redacao.baltashow@gmail.com
whatsapp Baltashow 63.84688254

Deixe seu comentário aqui:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da Baltashow Notícias e são de total responsabilidade de seus autores.