Baltashow Notícias

Japão considera simplificar as Olimpíadas de Tóquio para conter disseminação do coronavírus

Esportes

Japão considera simplificar as Olimpíadas de Tóquio para conter disseminação do coronavírus

Autoridades japonesas estudam diminuir número de torcedores e testes obrigatórios para atletas como medidas de controle do vírus durante os Jogos

Por GloboEsporte.com — Tóquio, Japão

04/06/2020 08h22  Atualizado há uma hora

Olimpíadas mais simples e mais baratas. É isso que as autoridades japonesas buscam. Depois do adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021 por causa da pandemia do coronavírus, o Japão refaz os planos para a competição e considera simplificar as operações das Olimpíadas. O objetivo é cortar custos e conter a disseminação do vírus.

Olimpíadas Tóquio 2020 Bolsa Atleta — Foto: Divulgação/ME

Olimpíadas Tóquio 2020 Bolsa Atleta — Foto: Divulgação/ME

As mudanças podem incluir a redução do número de torcedores nas arenas e uma redução na magnitude das cerimônias de abertura e encerramentos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Medidas para conter o coronavírus são estudadas, como restringir saídas dos atletas da Vila Olímpica e testes obrigatórios para atletas, funcionários e torcedores.

- Esperamos trabalhar em conjunto com o governo e o Comitê Organizador de Tóquio para analisar o que pode ser racionalizado e simplificado. Será necessário para obter empatia e compreensão do público - disse a governadora de Tóquio, Yuriko Koike.

Governadora de Tóquio, Yurike Koike quer Olimpíadas simplificadas — Foto: Associated Press

Governadora de Tóquio, Yurike Koike quer Olimpíadas simplificadas — Foto: Associated Press

Especialistas estimam que o adiamento das Olimpíadas gerou um custo extra de US$ 3 bilhões (mais de R$ 15 bi), embora autoridades olímpicas não divulguem esse balanço das contas. O Comitê Olímpico Internacional (COI) criou um fundo de apoio para bancar o impacto do coronavírus no esporte e destinou US$ 650 milhões (cerca de R$ 3,3 bi) exclusivamente para a organização dos Jogos de Tóquio.

- Temos que considerar o que deve ser feito, incluindo testes, para garantir a segurança - disse Seiko Hashimoto, ministra do Japão para as Olimpíadas.

Os japoneses estudam reduzir o revezamento da tocha para cortar custos. Unificar as cerimônias de abertura e encerramento das Olimpíadas com as das Paralimpíadas também estava em análise mas tem tudo para ser uma ideia descartada. O COI deseja manter o número de quatro cerimônias para os Jogos (duas nas Olimpíadas e duas nas Paralimpíadas).

As Olimpíadas serão realizadas de 23 de julho a 8 de agosto do próximo ano, com os Jogos Paralímpicos entre 24 de agosto e 5 de setembro.

GE

ENVIE NOTÍCIAS PARA O EMAIL
centralbaltashow@gmail.com
whatsapp Baltashow 63.984688254
 
A imagem pode conter: Renato Baltashow Colinas, texto

Deixe seu comentário aqui:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da Baltashow Notícias e são de total responsabilidade de seus autores.